Entrevista com: Nane Riehl

09:42 Mônica Souza 2 Comments


Meninas, a entrevista de hoje é de mais uma crespa que passou pela transição capilar e vem nos mostrar o que mudou na vida dela nesse processo de aceitação! Obrigada pela entrevista linda! Vamos conferir? 




         (Foto antes da transição)
1. Nome: Nane Riehl

2. O que te levou a assumir o cabelo natural? 

Quando me mudei para a Alemanha há quase 3 anos atras eu não sabia como continuar a fazer meu relaxamento de forma segura, pois embora minha cabeleireira no Brasil tivesse me ensinado e eu tivesse comprado todos os produtos, tive medo de passar do tempo da aplicação e ficar careca. Entao na espera de conhecer alguém que pudesse me ajudar com isso, eu acabei entrando em transição sem mesmo saber o que isso significava. 

Fiz pesquisas no google e encontrei fotos de mulheres maravilhosas com diferentes tipos de cabelos crespos, uma mais linda do que a outra, entao percebi que eu não fazia idéia de como eram meus cabelos sem química, pensei 'Uau se meu cabelo for parecido com o cabelo de qualquer uma delas eu vou ficar linda com meus cabelos naturais.'

Eu sempre tentei ter expectativas realistas (e as vezes pessimistas, isso não é bom e não recomendo) na vida, entao eu imaginava que 
meu cabelo natural seria o mais dificil de domar, o mais crespo (o que na época eu via como uma grande desvantagem) e mega volumoso (eu também pensava que cabelo com volume era 'OVER' :/ )

Durante essa busca de informação conheci por aqui uma brasileira com um Black lindo, fiquei maravilhada, nunca tinha visto de perto um cabelo assim, para minha sorte ela era cabeleireira e semanas depois ela cortou meus cabelos. 


3. Como era seu cabelo antes da transição?

Eram longos e alisados, eu alisava a cada 3 meses e fazia escova toda semana. Somente quando eu mesma lavava meus cabelos percebia que eles estavam super quebrados, sem vida, sem forma. O efeito que a escova dava era como um disfarce para meus cabelos, eles pareciam bonitos, mas estavam bem arruinados por conta dos processos químicos e escovas semanais, sobre tudo quando eu comparo com hoje em dia.

Meus cabelos caiam e quebravam muito, no fim do dia no escritório eu sempre tinha várias pontas quebradas de cabelo sobre a mesa. Mas eu não via problema nisso, eu achava normal, pois o importante era eles estarem lisos.

4. Alguém te inspirou? Quem?

Minhas principais inspirações foram as fotos que eu via de mulheres de cabelo crespo na internet, o blog Cabelo Crespo é Bom (onde aprendi a fazer texturizacao durante a transição, por exemplo) e minha querida amiga e cabeleireira Sandra que conheci aqui na Alemanha.

5. Fez o big chop? Com quantos meses de transição?

Sim fiz e eu tinha mais de 6 meses de transição pelo que me lembro. Foi bem interessante, eu não sabia que estava fazendo um Big Chop. A Sandra me perguntou se eu queria cortar tudo que tinha química por que parecia que essa parte do meu cabelo estava podre, sem vida, caindo muito e nem texturizacao funcionava mais, entao eu disse corta. Ela cortou tudo de uma vez só e balançou e sacudiu ele diante dos meus olhos, ENTREI EM CHOQUE, chorei! 

Eu lembro que eu precisei de um bom tempo sozinha me olhando no espelho para me reconhecer, nunca na vida eu tinha cortado os cabelos tao curto, fiquei com apenas 4 dedinhos mais ou menos. Mas no dia seguinte me senti linda depois de ver que havia cachinhos e que era possível molda-los também, comprei vários acessórios, só depois disso é que comecei a me maquiar de verdade. Eu fazia de tudo para ser o mais feminina possível para me sentir segura e bonita e sim eu me sentia assim.

6. Se não fez o big chop, quanto tempo levou sua transição?

7. Qual a sensação de ter cabelo natural?

Me sinto unica, me sinto autentica, me sinto linda. Antes quando eu alisava os cabelos e tal eu dificilmente tirava fotos sozinha para postar nas redes sociais. Agora o dificil é me fazer parar de fazer isso, me sinto tao linda do jeitinho que sou.
Eu olho para o espelho e me sinto satisfeita, feliz... eu amoooo meus cabelos. Acho que poderiam me oferecer todo dinheiro do mundo para alisá-los e eu não o faria, seria como arrancar um braco (dramática né?! rsrsrs), mas é mais ou menos isso, seria como me auto mutilar. Respeito quem faz alisamento e SUPER APOIO quem deixa de fazer.


8. Quais seus cuidados com o cabelo agora?

Lavo eles de uma a duas vezes por semana, atualmente uso shampoo da Elseve ou Pantene, condicionador da Pantene e um óleo da Yves Roche, o Manöi de Tahiti que eu amoooo, super cheiroso. Nunca saio com eles molhados ou úmidos, prefiro finalizar com difusor. Ah e uma vez por mês tenho feito hidratação com a mascara da Dove de óleo de argan, em breve vou testar receitas e outros produtos e mostrar na minha página Crespas e Cacheadas no Facebook.


9. Prefere cuidar dos cabelos em casa ou frequenta algum salão?

Eu mesma cuido dos meus cabelos, é uma terapia para mim. Em dia de lavar o cabelo o mundo pára rsrsrsrs!

10. Deixe uma mensagem para quem está em transição.

Se você é adepta de procedimentos químicos como relaxamentos, alisamentos, progressivas ou não consegue se sentir linda a menos que seus cabelos estejam escovados e pranchados (esses dois últimos procedimento também alteram a forma dos seus cabelos naturais, por conta da potência, sistemas iônicos e cerâmica que muitos secadores ou pranchas possuem), pergunte-se, se você já deu uma chance para seus cabelos naturais mostrarem como eles seriam se você deixasse eles livres desses procedimentos e cuidasse deles de maneira adequada com procedimentos e produtos adequados para cabelos cacheados e crespos.

A resposta quando sincera reflete muito sobre a maneira como você se enxerga, sobre sua autoestima e seus preconceitos. O que eu posso dizer é que eu era extremamente preconceituosa, eu sempre achei que ter cabelos lisos era essencial para ser linda, para ter um look decente, para ter um look que impõe respeito. 

Eu achava que eu combinava mais com cabelo liso, pois é, sempre ouco esse argumento de muitas meninas. Mas igual a mim, ha alguns anos atras, elas não tem a menor idéia de como seriam seus cabelos naturais se os deixassem crescer, nenhuma delas tem essa visão, por que mesmo quando eram crianças e não usavam química, assim como eu, elas não cuidavam de seus cabelos crespos de um jeito que exaltasse sua beleza natural, muitas cuidavam de seus cabelos como as meninas de cabelo liso cuidam de seus cabelos. Quando a gente tem cabelos crespos como o tipo 4, a gente não consegue aceitar que nossos cabelos crescem pra cima e não para baixo, nossas raízes tem volume sim, o crespo muitas vezes não tem cachos perfeitinhos, a tendência é ficar ouriçados, com aspecto crespo, por que são crespos.

Se você pensa em deixar os seus cabelos naturais crescerem e se livrar da química, pesquise sobre o assunto, procure se relacionar com pessoas que viveram essa experiência, se relacione com pessoas positivas e que você sabe que irao te apoiar, infelizmente não acredito que muitas conseguiram esse apoio de membros da família, colegas de trabalho ou mesmo amigos. Entao eu aconselho a todas mulheres que possuem cabelos naturais crespos ou cacheados (que alisam os cabelos) a participar de grupos sobre esse tipo de cabelo, existem mais de 50 só no Facebook. Procurem Fan Pages que mostrem meninas de cabelos crespos e cacheados, você está convidada a conhecer a minha página Crespas e Cacheadas. 

Mas não fique sonhando com cabelos cacheados perfeitinhos, seja realista, eu vejo muitas meninas com o mesmo tipo de cabelo que o meu ou mais crespo dizendo que não vao assumir seus cabelos por que eles não cacheiam... gente pára!

A maioria das brasileiras como eu foram em parte educadas pela televisão, e quem são as heroínas da TV brasileira? Quem são as namoradinhas do Brasil? Quantas delas possuem a beleza que representa de fato o povo brasileiro? Pense nisso... 
Deixe um estrangeiro assistindo um canal brasileiro e ele vai te perguntar se as pessoas na tela realmente são brasileiras. Meu marido (que é alemão) esteve comigo pra cima e pra baixo pelo Brasil, ele viu que o que eu disse sobre a mistura do povo brasileiro é verdade, mas quando ele assistiu a TV e observou os Outdoors espalhados pela cidade ele me perguntou porque só haviam europeus nas propagandas. 

Eu tinha o pensamento 'Preta sim, mas CABELO DURO NAO'. Isso não é engracado, isso é preconceito mesmo. Eu sei que gente não vai mudar esse mundo podre, mas o que a gente pode tentar mudar todos os dias são nossos conceitos equivocados (sobre muitas coisas...) e se livrar dos nossos preconceitos. Tente que isso só vai te fazer bem!



Agora, linda e crespa! 





É isso minha gente, espero que tenham gostado dessa entrevista! Comentem!


Veja também:

2 comentários:

  1. É incrível como as pessoas muito lindas depoisi da transição. É como se virassem outra pessoa!

    Minhas Impressões

    ResponderExcluir
  2. Você ficou muito linda, cheia de vida!!! É bem assim como me sinto com meus lindos cachos!!! Adoro ver a reação do povo, alguns olham com admiração, outros acham estranhos outros riem, mas o importante é que eu gosto deles

    ResponderExcluir

Deixe o seu blog para que eu possa conhecê-lo! Obrigada pela visita *-*