Resenha: Qualquer gato vira lata

15:44 Mônica Souza 0 Comments



Olá pessoal, tudo certinho? 


Pela primeira vez trago resenha de um filme aqui no blog, mas tem um motivo, não sou de assistir muitos filmes e nem vou com frequência ao cinema. 

Ultimamente tenho passado muito tempo em casa e por isso tenho assistido mais filmes e até que tenho gostado disso, afinal tenho aprendido muito com os filmes que tenho visto, sou bem seletiva com filmes e nunca assisto o trailer antes (por preguiça), me baseio por indicações ou a sinopse e o nome do filme. 
Eu não sou muito ligada a filmes brasileiros mas assisti alguns filmes brasileiros atualmente e posso dizer que alguns se salvam. A linguagem dos filmes brasileiros me incomoda um pouco, acho que não existe filme brasileiro sem palavrões e gestos indecentes, acho ridículo isso. 



O filme ''Qualquer gato vira lata'' é velhinho já, foi lançado em 2011. Em seu elenco temos Cléo Pires, Malvino Salvador, Dudu Azevedo, Alamo Facó e etc. Por que eu tive vontade de assistir esse filme? Por indicação de uma amiga. 

Sinopse: Tati (Cléo Pires) gosta de Marcelo (Dudu Azevedo) que gosta de namoras muitas garotas. Sincera (às vezes em excesso) Tati demonstra seu amor, mas só consegue afastar Marcelo. Ao assistir a uma palestra do jovem professor e biólogo Conrado (Malvino Salvador), ela tem uma ideia: aplicar as polêmicas teorias dele em seu relacionamento. Conrado desenvolve um guia técnico de sedução a partir da teoria de Charles Darwin, comparando o comportamento dos jovens namorados com o dos animais. A bela cobaia é aplicada e tudo parece dar certo na reconquista de Marcelo. A experiência “científica” se complica quando o envolvimento do professor com a aluna deixa um cheiro de romance no ar.

Minha opinião: O nome da personagem me lembra aquela personagem adolescente Tati, interpretada pela Heloísa Perissé, quem lembra? Mas elas são muito diferentes. Tati do filme ''Qualquer gato vira lata'' é dessas mulheres que fazem de tudo para salvar o namoro e agradar o namorado ao invés de se agradar, ela não tem amor-próprio. Mas confesso que me diverti com as técnicas ensinadas pelo professor e me fez repensar algumas atitudes também, mas o que mais surpreende é o final do filme. Recomendo muito! Assisti logo porque já está nos cinemas a continuação do filme, quem sabe não dou uma passadinha lá? Hahaha. 

Me conta se você também já assistiu e o que achou, ok? Super beijos. Fiquem com DEUS :)


Veja também: